• Jesus é o Senhor!

    A Igreja é o Corpo de Cristo

    O justo viverá pela fé

  • Artigos

    A Riqueza de águas da boa terra de Canaã

    "A terra que absorve a chuva que frequentemente cai sobre ela e produz erva útil para aqueles por quem é também cultivada recebe benção da parte de Deus" (Hb 6:7).
    Moisés não entrou na boa terra, mas recebeu revelação acerca dela, descrevendo-a em Deuteronômio 8, para que o povo fosse encorajado a cruzar o rio Jordão e dela se apossar: "Porque o SENHOR teu Deus te põe numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes, e de mananciais, que saem dos vales e das montanhas" (Dt 8:7). A boa terra de Canaã era rica e próspera, porque dela afluíam rios, fontes e mananciais profundos. Sem água, não há vida, mas a abundância de águas torna a terra propícia e fértil para o desenvolvimento da vida.
    A boa terra de Canaã é o próprio Deus com suas riquezas insondáveis, e os manancias, as fontes e os ribeiros representam o Pai, o Filho e o Espírito. Os mananciais profundos se referem a Deus Pai, como Aquele de quem toda a vida provém. As fontes são as nascentes, as aberturas por onde a água jorra, e representam o Senhor Jesus, o Filho, que nos abriu um novo e vivo caminho, trazendo-nos a vida de Deus (Hb 10:19-20). Os rios e ribeiros, que fluem água por toda a terra, simbolizam o Espírito, tornando Deus tão acessível e disponível para todos nós.
    Antes, não tínhamos acesso a Deus, pois Ele estava como um grande manancial sob a rocha: "o único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver. A ele honra e poder eterno. Amém!" (1Tm 6:16).
    Mas o Filho, na pessoa do Senhor Jesus, mostrou-nos o Pai, é como a fonte que traz a existencia as águas que estão no manancial: "Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou" (Jo 1:18). Quando se tornou carne e habitou entre nós, o Filho expressou o Pai: "Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?" (Jo 14:9).
    Porém, nem todos tiveram a oportunidade de viver na época que Jesus viveu, para vê-Lo e ter contato com Ele e consequentemente com o Pai, é como nem todos tem oportunidade de ir até uma fonte ou uma nascente para pegar água. Como então tais pessoas podem desfrutar dessa água para saciar sua sede? Graças ao Espírito, que é representado pelos ribeiros de águas que correm por toda a terra, porque por meio dele podemos hoje ter acesso a água viva, ao próprio Deus.
    O inicio foi quando o Senhor Jesus foi ferido na cruz, Ele se tornou um canal, uma fenda, por onde a vida de Deus fluiu até nós. Quando Ele foi glorificado, tornou-se o Espírito, que nos alcançou e tornou a vida divina acessível a todo aquele que crê: "No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.  Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado" (Jo 7:37-39).
    Aleluia! Ao desfrutarmos do Espírito, contatamos o Senhor Jesus como a fonte da vida e o próprio Pai, como o manancial de águas vivas. Por meio do Espírito, o Deus Triúno está ao nosso alcance com todas as Suas riquezas insondáveis! Aleluia! Dele podemos beber e nos saciar!
    Antes de Sua morte, o Senhor Jesus disse aos discípulos que enviaria o Espírito: "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros" (Jo 14:16-18). Porém no versículo 23, o Senhor disse que "Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada". Então quando recebemos o Espírito, recebemos também o próprio Pai e o Filho. Quando desfrutamos do Espírito, desfrutamos também do Pai e do Filho. O Espírito é o ribeiro de águas, os rios, que chegou até nós. A água do ribeiro é o mesmo da fonte, que por sua vez é a mesma do manancial. Aleluia pelo Espírito, através Dele podemos desfrutar o Deus Triúno e tudo o que Ele tem.


    Autor: Igreja em Caçapava